domingo, 24 de fevereiro de 2008

Saudade.

"A saudade mais dolorosa é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Eu podia ficar na sala e ele no quarto, mas sabia que ele estava lá.
Eu podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem me ver, mas via-o amanhã.
Saudade é não saber.
Não saber mais se ele emagreceu, cresceu.
Não saber se ele ainda usa aquela peça de roupa que eu gostava tanto que ele vestisse.
Não saber se ele tem ido às aulas, se ele tem saído à noite, se ele tem ido à internet, se ele ainda prefere coca-cola a ice tea, se ele continua sorrindo, e se eu continuo o amando.
Saudade é não saber.
Não saber o que fazer nos dias que ficam mais compridos.
Não saber como encontrar tarefas para me distrair e não pensar.
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música.
Não saber como vencer a dor de um silêncio que tudo e nada preenche."

2 comentários:

Soraia disse...

Queres saber uma coisa amor? apesar de este texto ser de outra pessoa, acho que tens aqui um blog LINDO !
transmites tantas coisas lindas :$ amo amo amo vir aqui, dá-me serenidade, fico calma no meio de tanta confusão no meu dia-a-dia.

amo-te tanto, nao imaginas .
(L)

Cathe disse...

és forte, és linda! Palavras lindas, totalmente certas. E É fantástico como são totalmente universais. gosto muito de ti * :)