segunda-feira, 7 de abril de 2008

menina do mar

"Estou tonta e um bocadinho triste. As coisas da terra são esquisitas. São diferentes das coisas do mar. No mar há mostros e perigos, mas as coisas bonitas são alegres. Na terra há tristeza dentro das coisas bonitas.
- Isso é por causa da saudade. - disse o rapaz.
- Mas o que é a saudade? - perguntou a Menina do Mar.
- A saudade é a tristeza que fica em nós quando as coisas de que gostamos se vão embora.
- Ai! - suspirou a Menina do Mar olhando para a Terra - Agora estou com vontade de chorar."

(...)

"- Venho da parte da Menina do Mar - disse a gaivota. Ela manda-te dizer que já sabe o que é a saudade. E pediu-me para te perguntar se queres ir ter com ela ao fundo do mar."


a menina do mar, Sophia de Mello Breyner Andresen

Um comentário:

Fábiozito disse...

a saudade aparece quando deixamos de saber. quando perdemos aparece a saudade. ela está lá. assim que perdermos, deixamos de ter noticias e sinais de alguem.

saudade, como tu já disseste é 'não saber'.

mas no fundo do mar, sim. No fundo do mar não perderíamos ninguém. No fundo do mar seriamos felizes. Não há nada para saber. Lá é tudo muito mais claro. Cá não. Lá há as coisas bonitas. Cá não. Lá há cores e vida. Cá não. Lá há alegria e vontade de viver. Cá não. Cá só há isto... um mundo idiota, uma coisa parva. O ar macambúzio das pessoas, trsites. A transformação e a hipótese de um dia sermos mais ou menos felizes.

Cá deixamos de saber. A saudade vem. A trsiteza chega e a luz apaga-se. É tudo tão escuro por aqui.

Desabafos..

Beijinhos***